17 de mar de 2011

Sabe?

Sabe quando as coisas começam a dar certo demais e dizem que é uma maré de sorte, mas você sabe que é só a calmaria antes da tempestade? Sabe quando você acorda adorando o mundo e vai dormir fingindo que aquele dia nunca existiu? Sabe quando até os dias mais cinzentos e chuvosos parecem mais claros do que o futuro? E quando a dor é tão grande que você não entende como as pessoas acreditam no seu sorriso? Você sabe quando os muros que você construiu para sua segurança vão caindo sob o ataque silencioso de alguém? Consegue entender o que é acreditar cegamente em algo mesmo sabendo que não deveria fazê-lo? Sabe quando todas as coisas que você faz para se proteger do mundo são as que te destroem quase por inteiro?

Se sabe, está na hora de levantar. E erguer a cabeça. E sorrir mais uma vez. E fingir que não foi nada, que foram só arranhões, que não doeu. E olhar para o céu querendo realmente enxergar o sol. E sentir a brisa como um aviso de que outros tempos virão. Porque eles virão e você virá junto. Para mais uma vez cair, mais uma vez sofrer e mais uma vez encontrar seu caminho de volta para si mesmo.

4 comentários:

iagomarcell disse...

- sábias palavras.
É impossível, em qualquer tempo - mesmo nos tempos de bonança, de esculpir sorrisos - não estarmos vulneráveis a tropeçarmos em alguma pedra (às vezes já existente, e muitas vezes colocadas propositalmente) no meio do caminho.

adorei o blog, em geral!
abraços.
Iago Marcell.

Ana Stiehl disse...

Obrigada Iago, volte sempre. =)

Andreia Rainha disse...

Adorei o texto. Devemos aprender a levantar a cabeça sempre e tentar enxergar o céu azul além das nuvens.

Ana Stiehl disse...

Obrigada.