18 de jan de 2011

Frases prontas não me satisfazem mais

O que eu quero ouvir é a verdade do momento. O que eu quero sentir é o poder de não saber descrever, de não existir uma descrição. Eu quero a dor, o sorriso, a angústia, o horror, a felicidade, a inércia. Eu quero a originalidade, a perspicácia, o sarcasmo, a ironia, as piadas ruins. Me fascino pelas entrelinhas, pelo brilho nos olhos, pelo dizer alguma coisa tentando dizer outra, pelo não dizer e querer. Não quero mais frases que são usadas como desculpas para os sentimentos de muitas pessoas todo o tempo. Quero conseguir inventar os meus motivos. Eu quero egoísmo, quero emoção; que mal tem alimentar os monstrinhos que somos? Mesmo que seja cruel, quero dizer. Não quero descrever os meus momentos com palavras dos outros. Eu quero me ver em cada linha de quem eu sou.

3 comentários:

Raphaela disse...

Ana... você tem talento!!

Adorei o texto *-*

Ana Stiehl disse...

Ahhh, muito obrigada! Fico feliz que tenha gostado! *-*

Anônimo disse...

caraca :) amei