30 de jan de 2011

Cansada de drama

Uns são mais fortes, superam seus problemas envolvendo o mínimo possível o resto do mundo. Outros precisam de um ombro amigo onde se escorar quando as coisas vão mal, afinal, não é fácil sofrer sozinho. Que seja, as pessoas são diferentes e é aí que está a graça em viver: poder conviver com características, defeitos, qualidades que não nos pertencem, mas que nos mantêm em constante evolução – ou pelo menos alguns de nós.
Enquanto houver vida nesse planeta, pessoas estarão sofrendo o tempo todo. Porque temos sentimentos e fazemos planos para o futuro, amamos, desejamos, traçamos objetivos, e é claro que, muitas vezes, somos esmagados pela verdade, pelas voltas que o mundo dá, por nossa insignificância perto da vida, por notarmos que não comandamos o futuro. Só podemos querer e lutar pelo que queremos... mas querer e lutar, às vezes, não é o suficiente. Cada mínimo detalhe que pode fazer as coisas darem errado para nós pelo simples fato de elas acontecerem exatamente naquele momento, naquele lugar, conosco e não com outro alguém! São tantas variáveis que é impossível não pensar: “Por quê eu, o que eu fiz para merecer?” Mas a verdade é que a vida faz suas vítimas e ela não se pergunta quem são. Se são assassinos, pedófilos, doadores de órgãos, pais de cinco filhos, ou crianças que têm muito para ver, muito para viver.
A verdade é que vamos ser derrubados incontáveis vezes por circunstâncias que poderão ser consequências de nossas atitudes, de atitudes alheias ou simplesmente do acaso, que pode mesmo mudar nossas vidas e, querendo ou não, nunca é previsível.
E, sinceramente, não vale a pena chorar por todos os tombos, fingir que cada pedrinha no caminho é o fim da linha. Drama é tudo o que eu vejo. Por coisas banais ou coisas que estão fadadas a acontecer, tragédias anunciadas. Muito drama podia ser evitado. Outra boa parte é tempestade em copo d’água, puro teatro, hipocrisia e lágrimas de crocodilo.
Não, o mundo não está acabando. Então pare de fingir que está. O céu não está negro; as estrelas não sumiram; o sol sempre vai aparecer, de novo e de novo, porque ele não precisa de você para isso; as tempestades acabam, muitas vezes dando origem a lindos arco-íris; as nuvens vão embora tão rápido quanto vieram... E, ainda assim, mesmo sabendo de tudo isso, você ainda acha que os seus problemas são os maiores do mundo, que a vida é uma masmorra onde você é o prisioneiro torturado. Só porque você é incapaz de levantar a cabeça e encarar a verdade: ninguém se importa com ninguém e ninguém é insubstituível. Nem você. O que não o impediria, se você fosse forte, de deixar sua marca no mundo, algo que as pessoas admirassem, que valesse a pena, que fosse verdadeiro.
E quando eu vejo pessoas que têm todos os motivos do mundo para estarem chorando, darem sorrisos sinceros que poderiam iluminar o mundo, acreditando que são capazes de superar a tristeza, que são capazes de seguir em frente, que não têm medo de lutar, que passam por situações difíceis porque realmente creem em si mesmas e no que elas têm a dizer ao mundo... eu tenho certeza de que os fracos não vencerão, não serão aqueles que almejam ser.
É a lei natural das coisas. Uns ganham e outros perdem. Para cada um de nós pode ser uma grande coisa escolher a qual lado pertencer. Mas, para o mundo, esse drama não existe. Não importa quem, desde que alguém vença.


2 comentários:

Raphaela disse...

UAL Ana Clara!
Desde quando você escreve?
Eu achei incrível o texto, me fez pensar, refletir.. adorei mesmo! É de sua autoria?

Beeijo
Rapha - Doce Encanto

Ana Stiehl disse...

Oii Raphaela. Sim, é de minha autoria! Obrigada. :)
Eu escrevo desde a 6ª série, eu acho... mas agora comecei, com o blog, a escrever mais sobre o cotidiano, eu acho! :)
Volte sempre, xx.