24 de abr de 2011

Acredite, eu sei

Não é necessário que me explique como é se sentir assim. Não preciso que me diga que sente medo. Ah, medo, ele quase sempre me fez desistir. Só não desisti por causa do medo nas vezes em que lutei ao máximo para não vê-lo. Sabe, às vezes conseguimos enganar a nós mesmos. O inconsciente se encarrega de guardar à sete chaves aquilo que não podemos ou não queremos ou não agüentamos saber. Eu agradeço a ele. Porque sei que tudo está lá; todos os meus pesadelos, todos os arrependimentos, todas as possibilidades, todos aqueles malditos pensamentos... Os que ferem, destroem, transformam, são. Aqueles que vão me mudar, que me mudam, que me mudaram. E a você, também.

Acredite, eu sei. Sei do seu lado mais obscuro, sei que você pensa coisas que ninguém nunca, nunca poderia imaginar. Não se preocupe, eu imagino, é claro, porque gosto de imaginar, mas isso não quer dizer que eu tenha certeza. Nunca terei. Mas ainda assim compreendo, ou tento, ou quem sabe só aceito. Porque sou assim, também. Dúvidas. Sou mais que uma só. Sou várias, sou máscaras, sou diferente a cada eu. A cada segundo. Porque eu mudo. Porque eu amo. Porque eu sonho. Porque a vida muda e estou viva! E você, também.

Conheço esse terror, essas tempestades, esses medos, essas lutas, esses anseios, essas virtudes, e, ah, eu conheço também essas decisões que são tomadas sem serem realmente pensadas; esses erros que são cometidos e depois não podem ser concertados. Porque a culpa sempre será sua, não é? Sempre será nossa. Porque alguém sempre tem a culpa. E você, eu, nós somos alguéns. Ou espero que sejamos. Ser ninguém seria até suportável. Seria insuportável não ser, simplesmente. Então eu sou, só, e tento não tracejar linhas ao redor de mim, para não haver limites para o que vou me tornar. Eu sou hoje, fui ontem e serei amanhã. E você, também?

3 comentários:

Stella Valim disse...

Sabe, é bom acreditar! E as vezes, otimo desacreditar no medo, colocar a mão nos rostos na hora que ele apontar na esquina.Adorei este texto, e sim, eu sou e sempre serei eu mesma, só nunca serei a mesma pra sempre < clarice l.

Raphaela disse...

Ana, adoro seus textos!!
Nos fazem refletir, é tão bom!!

Assim como os outros, eu tbm adorei este!!

Parabéns!


Beeijos
Rapha - Doce Encanto

Ana Stiehl disse...

Obrigada meninas, voltem sempre! =)