14 de mai de 2011

~

As máscaras continuam lá. Como se ninguém nunca tivesse visto realmente seus rostos. Como se fossem incógnitas para todos, quando são, na verdade, livros abertos, livros ruins. Talvez as máscaras caiam um dia, talvez permaneçam lá até se tornarem faces.


Vivem numa mentira. Querem que seja verdade. São uma mentira. E quem é de mentira não se torna real.

4 comentários:

Erick Fishuk disse...

Gostei do seu blogue! E esse texto cai como uma luva em várias situações, até numa certa crença em elefantes invisíveis que estamos discutindo por aí... ;) Bem, tenho meu blogue, mas talvez achará meus textos muitos maçantes, não que eu te menospreze, mas eu é que sou muito complicado, mesmo ^^

Até!

Erick Fishuk disse...

P.S.: Stihl: tecnologia alemôn, com plecinho da China! hihihihihihih ^^

Ana Stiehl disse...

HAHAHAHAHAHA, obrigada por vir aqui, Erick. E vou olhar seu blog sim, acho que consigo te entender.

Até mais e volte sempre. =)

Stella Valim disse...

Gostei daqui *-*
E realmente, as mascaras são coisas ruins, adorei suas doces palavras (: sucesso.
http://senhoritaliberdade.blogspot.com/